Deus e eu

Não importa a forma como enxerga o relacionamento do outro com Deus. Importa que o respeite pelo que é, não pela sua religião. Pode parecer estranho a fé, mas isso não pode impedir que o veja como uma pessoa normal,com qualidades e defeitos, mas não menos inteligente que outros somente por professar uma fé, diferente da sua. Alguns estereótipos ligados a religião, são comuns, e isso não deve incomodar, nem ao menos fazê-lo sentir-se agredido. Há um acordo inconsciente, um senso comum, de que fazer parte de alguns grupos religiosos significa aceitar ser visto como de uma casta inferior ou algum desvio de conduta. Ser crente significa apenas ter um relacionamento mais íntimo com Deus. Para quem é muçulmano, judeu ou como preferirem, essa força divina que move a vida, há uma forma diferente de relacionamento, não posso dizer nada sobre, porque tive contatos muito breves com essas religiões. Cada um deve viver da forma que escolher, inclusive nas questões religiosas. Costumo ouvir muitas críticas sobre religião, mas a maioria delas por total falta de conhecimento e por alguns, que fazem delas motivos para a desconfiança, outras são massacradas e associadas com a violência. Falar da religião do outro, exige conhecimento e respeito, para não incorrer numa grande injustiça. Importa saber apenas, que ter um relacionamento próximo com Deus, tem que nos fazer a cada dia,  ser uma pessoa melhor, preocupada com os rumos que  a humanidade está seguindo. Não tenha preocupação na denominação que possa dar a esse relacionamento: religião, fé, protestantismo, crente, evangélico, judeu, católico, muçulmano. Para os cristãos, a denominação é indiferente e mesmo que seja pejorativa, não deve afetar o seu entendimento sobre quem verdadeiramente somos. A imagem não condiz com a realidade. Na igreja encontramos pessoas com todas as qualidades e defeitos, da mesma forma que as encontramos em todos os círculos sociais. Pessoas com e sem caráter, menos ou mais inteligentes, capazes ou não em exercer as suas funções. O povo americano tem na sua origem a certeza gravada na alma de que foram escolhidos por Deus e portanto serão muito bem sucedidos em todas as suas batalhas. Essa certeza, faz deles uma potência. Lutam pelas suas conquistas e saem vencedores porque acreditam na vitória. Ter um Deus para chamar de seu, ajuda em todas as batalhas. Tenha orgulho em dizer que acredita em um Deus único e que está sempre contigo quando as lutas chegarem. Depender de Deus não o faz menos capaz ou mais fraco que outros. A diferença é que na hora das batalhas, ficam perdidos, não sabem a quem recorrer.
O meio acadêmico não olha com bons olhos para os que tem coragem de assumir que são cristãos.
É como se isso fosse uma declaração de ser inferior e algumas pessoas para não serem marcadas, escondem que professam alguma fé de forma mais intensa. Bobagem, ao contrário do que se pensa, o que acredita em Deus é um ser muito mais equilibrado e capaz para desempenhar as suas funções,
Talvez seja por este motivo que grande parte daqueles que se dedicam aos estudos e às ciências, quase sempre estão em desequilíbrio com as suas emoções, e necessitam apelar para a medicina, para se manterem estáveis emocionalmente. Fica aí como exemplo o ex-presidente Barack Obama, que nunca abriu mão da sua fé e serve como referência de pessoa emocionalmente equilibrada e politicamente correta, além de muito competente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mulher que é volúvel

Mulher que é atribulada de espírito

Quero dormir o sono dos justos